The Best

The Best

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Tradicional visita a Santa Cruz do Monte, em Mairi

A Semana Santa é uma tradição religiosa cristã que celebra a Paixão, a Morte e a ressurreição de Jesus Cristo. Em nosso município, acontece todos os anos a romaria para a Santa Cruz do Monte, sendo este ano entre os dias 12 a 14 de abril.

Dizem os moradores que a capela da Santa Cruz do Monte Alegre, como ainda a designam, é o cartão postal da cidade de Mairi. Realmente. Qualquer que seja o ponto de quem se aproxima da cidade, à primeira vista que se descortina é a beleza mística da capela lá no alto, dominando extenso e vasto panorama.
Aproveitamos a oportunidade para reavivar a importância da Santa Cruz do Monte, local de todos nós e responsabilidade de todos também, mantê-lo sempre limpo, preservado e livre de agressões, sejam quais forem. Vamos preservar e desfrutaremos sempre da vista deslumbrante que é possível estando lá.

Barraqueiros e camelô armam suas barracas no pé do Monte para vender seus produtos, lá você vai encontrar de tudo um pouco, por exemplo: Água mineral, picolé, cachorro quente, tira-gosto, óculos, vela, santinhos, salgados entre etc.
A capela da Santa Cruz do Monte Alegre, como a designam, é o cartão postal da cidade de Mairi. Realmente. Qualquer que seja o ponto de quem se aproxima da cidade, a primeira vista que se descortina é a beleza mística da capela lá no alto, dominando extenso e vasto panorama. Assentada a cavaleiro na parte mais proeminente do monte, a capela tem dimensões reduzidas, com nave de dez por quatro metros e dividida em duas partes, separadas por um arco.
Por dentro da capela
Na parte menor, posterior, encontra-se uma mesa , como por um altar, com alguns objetos e encostado à parede, um grande crucifixo, que chega até o alto. A esquerda, no ângulo da parede, um nicho protegido por grade de ferro e onde estão dispostos os santos gêmeos Cosme e Damião. Há, na parede lateral esquerda, uma prateleira inteiramente ocupada por estampas e quadros com molduras de santos, fitas, terços, ex-votos de madeira, pano e cera, representando partes anatômicas humanas: pernas, braços, mãos e pés.

Toca da onça
No mesmo monte, cerca de trinta metros abaixo da parte frontal da capela, encontra-se a falada Toca da Onça. Para lá chegar, a sua descida é íngreme e escarpada. A gruta se abre numa galeria estreita, que sobe em declive, mais ou menos por uns dez metros, saindo na parte superior por um rasgão angusto, dificilmente dando passagem a uma pessoa.


Do Mairi News